CBBU - Comissão brasileira de Bibliotecas Universitárias

Justificativa

As mudanças tecnológicas e educacionais são contínuas e vêm afetando de diferentes formas o ambiente organizacional e político das bibliotecas universitárias.  No epicentro da revolução tecnológica, as bibliotecas universitárias cada vez mais precisam considerar sua organização e seus processos, de um ponto de vista multidimensional, passando a adotar novos modelos de gestão e amplificar sua atuação, participando dos processos educacionais, transformando-se em espaços de aprendizagem, onde se valoriza a comunicação e a troca de informação e assim possam continuar a prestar serviços e disponibilizar produtos de informação em um espaço democrático de acesso e produção do conhecimento.

As novas tecnologias da informação e comunicação têm exigido e provocado mudanças na atuação dos bibliotecários e outros profissionais que atuam nas bibliotecas universitárias, cada vez mais é necessário atualizar constantemente seus conhecimentos, visando uma reformulação permanente de suas tradicionais atividades de tratamento da informação, bem como sua adequação às novas ferramentas de processamento, disseminação e preservação de informações e da memória científica das Instituições.

As equipes das bibliotecas universitárias estão sendo chamadas a se envolver com o gerenciamento de projetos, centrados em uma abordagem incremental, permitindo que as bibliotecas priorizem de forma eficaz e eficiente seu modelo de gestão, suas coleções e serviços e o importante papel na promoção da alfabetização informacional e do suporte ao pesquisador.

O Big data e o estabelecimento de programas de ciência de dados em numerosas instituições levou à necessidade dos bibliotecários se adaptarem e integrarem a crescente gestão, acessibilidade e especialização técnica do assunto para apoiar os pesquisadores.

No Brasil, as bibliotecas são tão diversas quanto o são as IES e nosso entendimento é de que um programa de imersão trará contribuições importantes para o desenvolvimento e aperfeiçoamento dos profissionais e  das bibliotecas universitárias.

Sem fornecer modelos definidos ou soluções impostas, o programa convida os participantes a se engajarem ativamente na prática crítica reflexiva e aplicar novos aprendizados ao desenvolvimento de soluções e estratégias que melhor atendam às suas necessidades individuais e institucionais.